POLÍCIA

21/02/2018 as 14:19

Aprovados em concurso da polícia revelam que governo não cumpriu promessa referente à nomeação

Candidatos aprovados dizem que déficit de policiais atinge aproximadamente mais de 500 agentes e que estado é o mais violento do país


Arte<?php echo $paginatitulo ?>

Sem aguentar mais a situação em que se encontram, candidatos aprovados no concurso da polícia civil, no ano de 2014, decidem tomar mais uma decisão, após o governo do estado não cumprir com a promessa referente à nomeação.

Um dos integrantes da comissão de aprovados no concurso da Policia Civil de Sergipe, Gladston Feitosa, revelou a ‘Hora do Papito’ que após uma conversa com o vice-governador do estado, Belivaldo Chagas, em dezembro do ano passado, os aprovados seriam nomeados logo no início de 2018, mas até o presente momento nada foi feito.

“Mesmo o vice governador, Belivaldo Chagas, sendo muito solicito e nos recebendo em seu gabinete, a palavra dele não foi cumprida, já estamos chegando em março, e nem se quer, um posicionamento nos foi dado diante da nomeação dos 153 novos policiais e que nos foi prometida para o começo desse ano”, afirma Gladston.

Indignados, a comissão está espalhando outdoors pela cidade, mostrando a insatisfação. “Como nossa situação continua sem resolução, preparamos divulgações em outdoors e colocamos pela cidade e ainda estamos preparando mais uma quantidade para colocarmos, nos próximos dias”, explica o integrante.

Segundo Gladston, quem passar pelos locais em que os outdoors estão expostos, vai poder observar o impacto que a falta desses aprovados estão fazendo. “Colocamos o seguinte: No estado mais violento do país sobra crime e falta investigação. Além de explicar que policiais civis estão prontos para trabalhar e que queremos a nomeação já”, comenta.

Por fim, Gladston destaca que muitos aprovados largaram o emprego acreditando que a promessa da nomeação seria cumprida. E ratifica que muitos continuam desempregados, esperando que sejam convocados o mais rápido possível.

“O que mais nos deixa preocupado é o fato de muitos aprovados estarem sem emprego, pois pediram desligamento de seus trabalhos acreditando que seguiriam na carreira que haviam escolhido. Espero que nossa nomeação saia o mais rápido possível, pois muitos ainda estão desesperados com o desemprego”, espera.

Edital

Em nota, o governo de Sergipe informou que o edital para esse concurso em questão previa a contratação de 100 policiais civis e que todos foram chamados.

Além desses, mais de 150 que foram classificados como excedentes da mesma forma já foram chamados.

Os demais, que também são excedentes, estão em uma fila de espera aguardando serem chamados, e serão chamados por que o governo tem total interesse nisso, a depender das condições financeiras do governo do estado, pois essas contratações geram impacto financeiro na folha de pagamentos e neste momento o governo não tem condições de absorver esse impacto.


Tópicos Recentes